Desafio Mundo Perfeito – Suspiro

Abriu os olhos, viu a claridade e os fechou. Sua mente voltava a trabalhar e agora não conseguiria dormir mesmo que quisesse. Sentiu uma leve pontada na cabeça, aquela dorzinha matinal de sempre… Agora sabia que estava tudo bem.

Levantou e tratou logo de puxar a cortina, o sol havia acordado de bom humor, mas ele estava apenas com “humor”, nem bom, nem ruim, queria apenas que o dia começasse logo para acabar depressa.

Foi para o banheiro fazer seu ritual diário: necessidades, banho, cigarro. Vestiu sua roupa e foi fazer o seu café. Tudo da mesma forma, mas algo lhe incomodava. Tomou uma xícara sem açúcar – preferia assim – e saiu.

Andou três quarteirões e algo continuava lhe incomodando. Mais um cigarro e até o fim do caminho seriam três. Chegou ao seu trabalho de sempre, com a cara de sempre, mas algo estava diferente. Não recebeu “bom dias” e nem pedidos de moedas para um “café”. Não teve que sorrir forçadamente fingindo simpatia e nem precisou colocar os fones de ouvido para evitar conversas.

“Silêncio” ele pensou. “Silêncio demais”.

Enfim olhou em volta.

Silêncio e vazio. Não havia ninguém na sala, nem na recepção. Ninguém nas escadas e nem nas ruas. Também não haviam carros. Andou calmamente até a janela, apenas o sol brilhava forte.

“Deserto” ele pensou.

Foi para rua. Andou mais três quarteirões e entrou num mercado. Tudo igualmente vazio e desligado, até a porta estava destrancada. “Estranho”. Pegou algumas besteiras mas não havia ninguém no caixa. Com um pouco de força abriu a gaveta do caixa, era honesto e não queria sair sem pagar, mas não havia dinheiro algum.

juh

“Eu tentei”. Pegou algumas bebidas além do que já tinha pego e foi para casa. Bebeu, fumou, comeu. Conseguiu enfim ler sem ser interrompido e terminar alguns escritos que tinha para si como um diário, que não falava de sua vida mas parecia expressar sentimentos alheios.

“Meu cachorro”. Procurou pela casa e o encontrou dormindo no quintal. Quando viu o dono balançou o rabo e pulou. Ele caiu no chão mas não se importou, de certa forma sentia falta disso.

“Só eu e você garoto.”

Saiu novamente, não sabia o porquê mas achou que seria mais sensato não questionar. Voltou a noite, bebeu mais um pouco e alimentou o cachorro. No quarto, mais um cigarro e agora acompanhado da luz da lua que invadia o quarto pela janela. Terminou admirando-a e antes de fechar a janela, suspirou:

– Meu mundo… – e adormeceu.

Abriu os olhos, viu a claridade e os fechou. Sua mente voltava a trabalhar e agora não conseguiria dormir mesmo que quisesse. Sentiu uma leve pontada na cabeça, aquela dorzinha matinal de sempre… Agora sabia que estava tudo bem.

Nem levantou e teve seus pensamentos interrompidos por uma buzina e os gritos do vizinho reclamando com o caminhoneiro. Puxou a cortina para cobrir a claridade. “Droga” pensou. Naquele dia decidiu cedo como estaria ao longo do dia, com mau humor.

Juhliana Lopes

Anúncios

3 respostas em “Desafio Mundo Perfeito – Suspiro

    • “uma porta meio trancada”
      Pode ser que ela não estivesse fechada com chave, só encostada,
      ou com corrente frouxas capaz de abrir um vão capaz de passar uma pessoa,
      ou só com correntes sem cadeado…

      É só imaginar amigo, algo fechado mas não o suficiente para impedir a entrada de uma pessoa 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s